Testemunhos Cycle Chic (XII)

A Margarida colocou um grande testemunho no seu blogue, onde relata a sua mudança de rotina. Aqui fica como inspiração para outros, parte desse testemunho (com a devida autorização da autora):

Uma das coisas que melhor me faz à saúde são… as greves do metro!

Há um ou dois anos as greves do metro permitiram-me mudar a rotina e em vez de apanhar o metro após chegar do comboio a Lisboa, fazer o percurso a pé. Ainda eram cerca de 15 minutos com passo rápido mas fazia-me muito bem e, apesar de inicialmente chegar ao trabalho com um pouco de asma, rapidamente isso deixou de acontecer.

Desta vez, a última greve do metro, permitiu-me mudar a rotina e experimentar ir de bicicleta! A pé seria um percurso demasiado longo do transporte que apanho agora e da nova localidade da minha empresa…

PB010062

Cada vez mais se vê ciclistas a frequentarem o barco para a travessia no Tejo e nesse dia fui uma também! Conheci um ciclista que também trabalha para os meus lados e assim fiquei a conhecer o caminho que ele fazia, era semelhante ao que tinha planeado mas com uma ou outra rua de melhor acesso para nós, para além de muitas dicas em andar em cidade, que isso não tenho experiência… bem, o Seixal é uma cidade mas é mais tranquilo (às vezes) ou eu já conheço muito melhor os caminhos e nunca tinha chegado a deixar a bicicleta estacionada na rua.

No dia seguinte tinha o dia de férias mas aproveitei para apanhar o mesmo barco e fazer o mesmo percurso até ao trabalho. Continuar para outros lados mais distantes para conhecer melhor Lisboa de bicicleta, como a Expo, tirar montes de fotografias e apanhar a ciclovia até ao Terreiro do Paço, continuar até apanhar a próxima ciclovia até passar por baixo da Ponte 25 de Abril e não avançar muito, pois o cansaço físico desse dia e do anterior já me estava a custar; pequeno sprint para apanhar o barco senão iria esperar imenso tempo para o seguinte e descanso! (…)

PB010054

Nessa semana de ciclismo, falei com mais pessoas da nova rotina e o que parece é que as pessoas não pensam sequer na possibilidade de ir de bicicleta mas traz tantos benefícios, tanto ao corpo como à mente e as que pensam, impõem barreiras mesmo podendo ser mais fácil ou rápido do que para mim que tenho de atravessar o rio, outras talvez fiquem a pensar um pouco nessa alternativa mas provavelmente continuarão a utilizar o automóvel ou aguentar com as tantas greves que os transportes públicos têm feito recentemente.

A cidade de Lisboa (e outras cidades) podia consciencializar mais as pessoas a aproveitarem este meio de transporte, anúncios para as lembrar disso e as soluções existentes, tanto as ciclovias que têm vindo a implementar para aumentar a segurança no ciclismo como a tentar reduzir os carros pois a condução maluca que os automobilistas lisboetas prestam na cidade é de meter medo às vezes, velocidades e manobras nada responsáveis.

 

Fica uma sugestão para a Margarida e para os demais… ao passarmos a utilizar roupas normais, passamos também a pedalar mais calmamente (que reduz ou elimina o problema do suor). Simplificamos a nossa vida, evitando mudas de roupa desnecessárias, e aumentando a versatilidade das deslocações, já que nos vestimos para o destino e não para a viagem. Como benefício de andar mais devagar, ganha-se muito em segurança, reduzindo também a probabilidade de queda. Ah, trocar a mochila por uns alforges ou outro modo qualquer de levar a carga na bicicleta e não no corpo, também ajuda… e muito!

Obrigado Margarida, boas pedaladas!

 

PS. Quanto a anúncios a consciencializar as pessoas para aproveitarem a bicicleta, já há algo a ser feito.

 

Deixar uma resposta