E o passeio começou assim

800 pessoas!… Há quem diga que foram mais, outros nunca pensaram que fosse tanta gente. Mas a realidade, independente dos números, foi que o evento se traduziu numa verdadeira festa alegre, bem disposta, onde a animação reinou entre os participantes, pintando as ruas de Lisboa, com uma graciosidade que só a bicicleta confere. Dava para perceber que não era mais uma “corrida” ou “prova desportiva” no meio da cidade. Apenas gente normal, com roupa normal, de bicicleta! Uns aproveitaram para vestir algo mais extravagante, outros mantiveram o seu hábito de se equiparem para andar de bicicleta – todos somos livres de escolher como nos sentimos melhor – mas a grande maioria das pessoas escolheu a mesma roupa que escolheria, se fosse andar a pé ou de automóvel. O Campo Pequeno, depois do almoço, rapidamente se encheu de gente, em torno dos expositores – muita animação, muita curiosidade. Mesmo antes de partirmos, a chuva ainda quis marcar presença – mas nada demais, um aguaceiro passageiro que não desencorajou ninguém – ao fim de alguns minutos, estavamos todos prontos para partir!

DSC_7003 DSC_7004

DSC_6996

DSC_7006 DSC_7008 DSC_7010

DSC_7013 DSC_7015

DSC_7012

DSC_7017 DSC_7018

DSC_7022 DSC_7023 DSC_7025

DSC_7019 DSC_7021

DSC_7027 DSC_7028 DSC_7031

DSC_7032 DSC_7033

DSC_7034 DSC_7035 DSC_7037

DSC_7043

DSC_7039 DSC_7041

DSC_7046 DSC_7048 DSC_7049

(continua)

8 Respostas a “E o passeio começou assim

  1. paulofski diz:

    Tantos sorrisos…

    Olá Sofia 🙂

  2. diario de Lisboa diz:

    Acho que tens de pensar seriamente em fazer uma edição no final do Verão:) Uma por ano é muito pouco:)

  3. Olha a “nossa” Sofia 🙂

  4. Luis vasconcelos diz:

    Venho apreciando o site e a divulgacao que fazem da bicicleta. O unico aspecto que nunca entenderei eh esta insistencia continuada em distinguir os ciclistas entre os “normais” que tao bem fotografam e divulgam e os suponho que “anormais” que preferem usufruir a bicicleta de outra forma. Praticando ciclismo “normal” e “anormal” desde 1989 nao entendo esta distincao. Por outro lado sera bom nao esquecer que foram os “anormais” que mantiveram muitas marcas de bicicletas em funcionamento, quando a maioria dos agora “normais” ainda olhava para as bicicletas como algo muito estranho. O importante eh pedalar ser,na cidade ou no campo, com jeans ou lycra, com pasteleira ou btt, menos um carro.Parabens pelo site. Luis V.

  5. Miguel diz:

    Luís, a questão aqui é de evitar cair-se no cliché habitual, de que para andar de bicicleta precisamos de roupas especiais. Quebrar o mito de que para andar de bicicleta nos temos de “equipar”.

    Mas não entendam isto da maneira errada, como recorrentemente muitos fazem – não quero com isto dizer, que quem anda de lycra não o deve fazer… O que eu digo é que para andar de bicicleta, no dia-a-dia, não o é necessário fazer, e o Cycle Chic serve para mostrar isso mesmo!

    E não confundam ciclismo desportivo, com ciclismo utilitário! Eu faço os dois, e surpreendam-se: quando faço o primeiro, uso lycra e afins!!! sacrilégio!!!! 😉

  6. Boa iniciativa…

    Só não entendo porque andam praticamente todos sem capacete! A segurança não está em primeiro lugar? Ainda pra mais em ruas movimentadas com veículos de 4 rodas?

    Pensem nisso para uma próxima…

  7. […] vos mostrei como começou o passeio, mas calculo que continuem à espera de mais fotos. Hoje deixo-vos com mais um bom bocado do […]

Deixar uma resposta