Strida chegou a Portugal

Conheço estas bicicletas há muitos anos. São já um clássico moderno do Design Industrial, da autoria de Mark Sanders. Cheguei a considerar uma há uns anos, mas na altura não havia representação por cá, e a própria marca andava um pouco apagada – a escolha acabou por recair numa Mobiky Genius 12.  Entretanto as necessidades ciclísticas apontaram noutra direcção, e a Brompton surgiu como a escolha natural.

Mas a Strida é uma máquina diferente da Brompton, e não as considero concorrentes. Apesar de serem ambas dobráveis, a Brompton é uma bicicleta mais completa, mais complexa e mais cara – e a simplicidade é a grande virtude da Strida. Abre e fecha em menos de 5 segundos, de um modo muito fácil. É uma bicicleta simplificada até ao extremo, leve, sem mudanças, sem corrente (utiliza uma correia de kevlar) e sem óleo… É indicada para articular com os transportes públicos, ou para levar no carro e fazer o final do  percurso, com calma e sem pressas.

No outro dia aceitei o convite do novo importador para dois dedos de conversa e conhecer ao vivo as bicicletas.

DSC_4659

Por enquanto são apenas dois os modelos comercializados cá: a LT, com roda 16″ e a SX, com roda 18″ e um pouco mais “luxuosa”.

 

Ficou combinado para depois, um teste mais longo a uma das bicicletas.

 

 

3 Respostas a “Strida chegou a Portugal

  1. Rui Santos diz:

    São efectivamente muito giras. Vi duas hoje na montra da MegaAventura em Campo de Ourique e dão vontade de experimentar :-))

  2. […] gente aproveitou para testar estas curiosas bicicletas de […]

  3. Jorge Quadros diz:

    Boas, onde e como posso comprar uma, vivo nas ilhas.

Deixar uma resposta