Globe Live 2.0

A Specialized Portugal, teve a amabilidade de me emprestar uma Globe Live 2.0 durante uns tempos, para poder testar a mesma. Trata-se de uma bicicleta elegante, de caracter utilitário. Ideal para uma utilização diária, seja em circuito urbano, seja por estradas e caminhos suaves em meio rural (sim, porque quem vive nos arredores de uma aldeia no interior, não precisa de se deslocar numa BTT – isto de chamar bicicletas “urbanas” às bicicletas utilitárias, é um pouco redutor).

P1070659

Apesar de ter uma geometria mais moderna, tem uma posição de condução muito semelhante à chamada “safety bicycle” (que remonta ao final do sec.XIX) – é extremamente confortável, e muito mais segura no meio do trânsito – a posição vertical e elevada do nosso tronco, permite uma muito melhor percepção do que nos rodeia – não é à toa, que europa fora, este é o tipo de bicicleta mais comum. Esta posição em nada compromete nos percursos mais longos – fiz umas tantas voltas por Lisboa e arredores, onde a kilometragem ultrapassou os 30Kms diários, sem denotar qualquer fadiga adicional.

P1070669 DSC_7096

Com uma construção cuidada, o quadro é inteiramente em Alumínio, assim como o garfo – este, embora pareça numa primeira abordagem um pouco rígido, não prejudica o conforto geral da bicicleta – as rodas de grande diâmetro (700C) em muito contribuem para isto. O cubo Shimano Nexus disponibiliza 8 velocidades – funciona muito bem, e durante o tempo que pude experimentar, nunca tive razão de queixa. As relações estão bem escalonadas, permitindo vencer inclinações mais exigentes, mas sem comprometer a velocidade atingida em percursos planos, onde se rola facilmente acima dos 30Km/h. A travagem, está a cargo de uns simples V-brakes, que se revelaram muito competentes. O selim em pele, confere um conforto não só para percursos curtos, mas também para quem faça distâncias maiores – não é excessivamente largo como tantas vezes vemos neste tipo de bicicleta (provocando desconforto em percursos mais longos), mas também não é muito duro, algo comum nos selins de perfil mais estreito.

DSC_7113 DSC_7110

Uma característica que salta à vista de imediato, é o enorme tabuleiro frontal. Robusto e largo, tem capacidade para 25Kg! A direcção não é muito comprometida desde que a carga não seja elevada – frequentemente utilizei para transportar a mala do meu portátil de 17″, que juntamente com o restante conteúdo da mala, ultrapassa os 6 ou 7Kg. Uma rede elástica ou uns elásticos próprios, são recomendados para fixar os objectos que transportamos – afinal de contas, trata-se de um tabuleiro, e não de um cesto. Para ajudar a manter a bicicleta direita, quando parada no descanso, a direcção está dotada de uma mola que mantém a roda alinhada. O referido descanso, tem também um desenho interessante, uma vez que apesar de recolher apenas para um lado, quando desce, separa-se em dois apoios que, em conjunto com a roda da frente, mantêm a bicicleta numa posição perfeitamente vertical. Excelente para podermos colocar as coisa no tabuleiro, sem estarmos preocupados com a estabilidade da bicicleta.

DSC_7285

Um outro pormenor mais técnico, mas que não deixa de ser curioso, é a solução utilizada para manter a tensão devida na corrente – em vez de se recorrer aos tradicionais “dropouts” horizontais, estes são verticais como numa bicicleta com desviador, mas o eixo pedaleiro está dentro de um excêntrico que permite deste modo afinar a tensão da corrente. Se à partida pode parecer pouco relevante, quando pensamos em trocar a câmara de ar da roda traseira, esta tarefa torna-se muto mais simples, pois permite que se coloque e retire a roda, sem alterar a tensão da corrente.

Por fim a bicicleta vem dotada de algum equipamento obrigatório em qualquer utilitária: guarda-corrente (que embora não seja integral, cumpre bem a sua função), guarda-lamas de grandes dimensões e reflectores. O quadro tem as furações nas escoras traseira para podermos adicionar um suporte de carga, e respectivos alforges – para quem precise de transportar mais coisas, e o tabuleiro não seja suficiente.

DSC_7109 DSC_7108

Como pontos menos positivos, apenas dois reparos – os pedais não me pareceram da melhor qualidade, e a ausência de luzes, preferencialmente com dínamo de cubo (pelo menos como opção, uma vez que um upgrade deste género, obriga a refazer a roda diânteira).

A bicicleta custa 799€, um preço que para muitos pode parecer algo elevado, mas que reflecte a qualidade geral da bicicleta em questão. (Pensem deste modo – é fácil num automóvel, ter um problema cuja reparação facilmente ultrapassa este valor).

A T. adorou experimentar a bicicleta – bem mais indicada para a utilização que ela faz, do que a BTT que normalmente usa – mas é o que há… por enquanto!

P1070737

Mais um detalhe interessante da Globe – o emblema que todas as bicicletas desta marca têm, é uma moldura onde podemos colocar uma foto, um desenho… neste caso, o logotipo do Lisbon Cycle Chic.

DSC_7224

Vai deixar saudades…

P1070729

5 Respostas a “Globe Live 2.0

  1. The Caped Crusader diz:

    Boa review.

    Mas não consigo gostar duma bicicleta com uma geometria assim. Isso é geometria de estrada, ou quando muito de bicicleta de trekking. É horrível para uma citadina e não consigo entender porque a Specialized se meteu a fazer isso numa citadina.
    Nesse aspecto, as Gazelle continuam a dar vinte a zero à Specialized.

  2. […] há também alguma variedade de peças e acessórios disponíveis. Já aqui fiz um teste a uma Globe Live, e em breve, publicarei o teste à Globe […]

  3. […] da review à Globe Live, chegou cá esta outra bicicleta, mais uma vez gentilmente cedida pela Specialized Portugal. São […]

  4. Rodrigo Amaral diz:

    Caro the Caped Crusader (isto de comentar anonimamente é um espectáculo),
    Geometria de estrada???? Isto é geometria com o tubo superior rebaixado, mas modelo de homem. Não é geometria de estrada.
    Experimente lá sentar-se em posição de estrada nesta bike.
    A Gazelle é de facto linda, mas não tem nada a ver com esta. são conceitos diferentes.
    É comparar Pastel de Belém com Pastel de Tentúgal.

  5. João Rosas diz:

    Boa Noite

    Será possível colocar nesta bicicleta um suporte de carga traseiro idêntico ao do modelo Globe Haul? Quanto à iluminação dianteira, tenho uma LUMOTEC Classic T de uma bicicleta antiga, será adaptável a esta bicicleta?

    Obrigado .

    Cumprimentos

Responder a The Caped Crusader Cancelar resposta